skip to Main Content
A Vida Após O Luto

A vida após o luto

Vivemos em uma cultura que nos oferece incontáveis soluções para a dor. Podem ser pílulas, negação, comportamento destrutivo (como comer demais, comprar demais, beber demais) ou até mesmo a busca por distrações (como ler livros e assistir a séries para pensar em outra coisa).

O que nossa cultura dificilmente nos proporciona são alternativas para cruzarmos nossas dores de forma consciente, extraindo destas experiências sabedoria de vida. Sentar com a dor, permitir-se lágrimas até que elas acabem pode ser o processo mais lento, mas certamente é o mais saudável.

A morte do marido significa perder o amante, o melhor amigo, o confidente, o parceiro na hora de pagar as contas, cuidar dos filhos e da casa. O vazio que fica no coração pode ser devastador. Amigos e família ajudam muito, mas a dor é constante e as pessoas ao redor não estão disponíveis o tempo todo, principalmente quando se passam meses ou anos após a morte.

É aqui que entram os grupos de apoio. Grupos de apoio para viúvas são comuns no mundo inteiro. Redes virtuais de mulheres em luto são prática comum nos EUA e na Europa e foram criados com base nos grupos de apoio presenciais. Aqui no Brasil, estamos dando nossos primeiros passos nesta mudança de paradigma com relação ao cruzamento da dor.

Em Porto Alegre, a iniciativa é o grupo da Escola Menthes, que coloca a psicopedagoga Dolores Bordignon à frente deste grupo de mulheres em busca de qualidade de vida na viuvez. O grupo de apoio se reúne nas quintas-feiras, às 14h. Como todo grupo de apoio, a base é a liberdade de expressão, o fim dos temas proibidos e a motivação para abertura dos sentimentos, sendo que Dolores é a responsável por conduzir as mulheres por este caminho de autoconhecimento até que novos sentidos se formem e uma nova vida seja redescoberta.

Ligue para a Menthes Porto Alegre. Dê seu primeiro passo em direção a uma nova jornada.
Fale conosco no telefone (51)30243088. Clique aqui para mais informações.