skip to Main Content
Mude Sua Visão Sobre A Felicidade

Mude sua visão sobre a felicidade

Todos desejamos ser felizes. No entanto, poucas são as pessoas que realmente desejam ser felizes. A maioria do estado diário de cada um de nós é uma profunda infelicidade, isso porque temos a dificuldade de conseguir equilibrar todas as áreas da nossa vida, de ter prazer nas ações cotidianas.

Rotas de fuga desta infelicidade são bem conhecidas e podem ir das drogas a qualquer coisa que nos traga algum prazer instantâneo. Cada um toma o seu caminho de fuga desta “dor” que insiste em viver dentro do corpo.

Com o passar do tempo, acabamos acreditando mais nas ações de fuga do que na própria felicidade: consumimos produtos, telas, experiências que prometem uma felicidade que sempre esteve em nós, mas que deixamos de lado.

Separamos a capacidade natural de Ser Feliz, de apenas contemplar, de apenas sentir. Deixamos de celebrar cada momento, cada segundo de alegria e de vida. Esquecemos que cada segundo é vida, e que vida é Alegria.

Assim, perdemos a sabedoria vital: que a felicidade não pode ser praticada, pois a felicidade é um estado natural em cada um de nós. Basta permitir que a felicidade e a alegria sejam algo que vive dentro de nós, e que de nós mesmos faz parte.

Ter a coragem de deixar o apego diário aos bens materiais, ao trabalho que fazemos, e que a muitos não dá prazer nenhum, é a mesma coragem que a criança tem quando larga um brinquedo que segura na mão para brincar com outra coisa. É este desapego infantil que nasce conosco e que vamos esquecendo ao longo do nosso crescimento.

Cada vez mais acreditamos que, se atingirmos o objetivo proposto, teremos picos de felicidade. Até aqui nada está errado, mas errado está se não tivermos prazer nessa ação. Fazer por fazer é sempre um aviso que enviamos a nós mesmos que a vida não tem um sentido, que as ações que compõem nossa história não valem a pena.

Muitos se esforçam para atingir determinados objetivos diários, seja para nós, seja para os outros, e isso leva a que nunca nos questionemos sobre nosso lugar ao longo destes processos, sobre como nos sentimos durante a jornada.

Ao nos educarmos para termos prazer e alegria nas ações cotidianas, criamos o hábito no nosso Eu, no nosso cérebro, de que toda a ação que desempenhemos futuramente, terá prazer e alegria, e isso irá nos encher de motivação e confiança.

Aprendemos, desde pequenos, a não termos a coragem e a ousadia de nos questionarmos sobre o que não nos dá prazer, e sair à procura da verdadeira felicidade. Para transformar este padrão tão enraizado que nos impede daquilo que mais buscamos, precisamos nos reconectar com a Fonte que nos Criou, com nosso lugar nos ciclos da natureza, com a inseparável e mágica ligação entre mente e corpo, com a sabedoria da criança que faz da brincadeira sua principal forma de aprendizagem sobre a vida.

Precisamos nos religar com aquela criança que um dia fomos e que nos ensinou que cada pequena ação, cada pequeno segundo está repleto de magia, de encantamento, de criatividade e felicidade. Está tudo dentro de nós. Está tudo a um esticar do braço, em direção ao nosso coração.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.