Como você sabe quando o seu casamento acabou?

Se você está se perguntando se deve se divorciar de seu cônjuge, consulte este guia para saber se essa é a decisão certa para você.

Às vezes, os planos mais bem elaborados são desperdiçados. Apesar de todas as suas esperanças e sonhos no início, e de todas as suas boas intenções agora, parece impossível continuar seu casamento. Para muitos de nós, a noção de “até que a morte nos separe” tornou-se um anacronismo. Quando a vida se torna muito dolorosa, com muitas batalhas e cicatrizes de batalha, poucos de nós questionamos a ideia, pelo menos intelectualmente, de seguir em frente.

Eu sou terapeuta de casal online e presencial em Porto Alegre a alguns anos. Tenho grande experiência como terapeuta e já ajudei centenas de casamentos a encontrarem o melhor caminho.

Por que considerar o divórcio?

Às vezes, tanta mágoa foi gerada ao longo dos anos que é simplesmente impossível ir além – pelo menos no contexto de seu relacionamento atual. Quando as pessoas nutrem uma raiva profunda e duradoura e, apesar da terapia, essa raiva não pode ser resolvida, pode ser a hora de deixá-la ir.

Mesmo na ausência de raiva, um ou ambos os parceiros podem começar a perder o respeito pelo relacionamento e pelo cônjuge. Isso também pode significar o fim. Um casal que conhecemos, por exemplo, se divorciou depois que o marido fez alguns investimentos ruins e perdeu o negócio e a casa da família. A mulher, que insistiu que não sentia raiva, disse que não poderia mais permanecer casada com alguém por quem “não tinha respeito”.

Às vezes, as pessoas se divorciam porque se separam. Um casal da região de Chicago passou 20 anos em um casamento tradicional; ele saiu para trabalhar e ela ficou em casa no papel de dona de casa. Eles tinham de tudo, desde os dois filhos até a casa no subúrbio e os carros. Quando o filho mais novo foi para a faculdade e o casal teve incontáveis ​​horas para passarem juntos, concentrando-se não nos filhos ou nas questões familiares, mas um no outro, eles descobriram que tinham pouco em comum.

Pessoas mais jovens com relacionamentos de duração muito mais curta muitas vezes também chegam a esse ponto. Quando as pessoas se casam muito jovens, podem descobrir que passaram por enormes mudanças durante o relacionamento e se separaram. Eles simplesmente passaram por mais desenvolvimento pessoal; eles têm um senso de identidade mais forte e, à luz disso, não fariam a mesma escolha de casamento hoje.

Freqüentemente, nesses casos, a decisão de divórcio é mútua. Freqüentemente, essas pessoas podem abandonar o casamento sem sentirem muita raiva, especialmente se não tiverem filhos. Ambos apenas levantam as mãos, encolhem os ombros e dizem “Isso não funciona”.


Perguntas para terapia de casal

Necessidades emocionais no casamento

Perguntas sobre casamento

Tempo de qualidade no casamento


Quando isso acaba?

Como saber quando finalmente alcançou o ponto sem volta, quando recompor seu relacionamento é simplesmente difícil demais? No final, é claro, a resposta é pessoal. Mas se suas respostas às seguintes perguntas forem irrefutavelmente “sim”, talvez seja hora de deixar para lá:

  • Cada situação, por mais trivial que pareça, evolui para uma briga?
  • Você ou seu cônjuge referem-se continuamente a eventos dolorosos do passado?
  • Todo o respeito se foi do seu relacionamento? Você acha que é impossível trazer esse respeito de volta?
  • Seus objetivos e direções mudaram, enquanto os de seu parceiro permaneceram os mesmos? (Ou vice-versa.)
  • Seu parceiro não está mais promovendo seu crescimento individual?
  • Você e seu parceiro mudaram tanto que não compartilham mais valores morais, éticos ou de estilo de vida?
  • Você e seu cônjuge perderam a arte do compromisso? Quando você discorda, não consegue traçar um caminho que seja aceitável para ambos?
  • Você e seu cônjuge têm uma incompatibilidade sexual básica? Vocês se sentem completamente atraídos um pelo outro? Apesar da ajuda de terapeutas profissionais, você parou de fazer amor?

Não queime suas pontes: esteja absolutamente certo

A decisão de se divorciar nunca deve ser tomada após uma briga. O divórcio é definitivo e deve ser considerado com cuidado, não apenas pelo impacto em você, mas também em seus filhos. Quando você se divorciar, que ramificações repercutirão em sua vida e na vida de sua família? Você terá dinheiro suficiente para sustentar seu estilo de vida – incluindo pequenos detalhes importantes, como idas ao cinema, aulas de piano ou comida chinesa para levar semanalmente?

Você está pronto para deixar a casa da família por um apartamento minúsculo? Você está pronto para dividir as pinturas impressionistas que colecionou nos últimos 20 anos, sua coleção de singles de rock ‘n’ roll ou o conjunto de sala de estar que você comprou do mestre de móveis em Milão?

As respostas, para muitos, podem ser diretas: o relacionamento emocional com o cônjuge é amplamente negativo, por um ou mais dos motivos listados anteriormente. Por que mais o divórcio estaria no ar?

No entanto, às vezes os casais em conflito podem ignorar os aspectos positivos. Por exemplo, se você tem um filho, já pensou em como pode ser difícil assumir total responsabilidade, por um lado, ou uma visitação restrita, por outro? Você sentirá falta de seus sogros, amigos que talvez tenham que escolher seu cônjuge em vez de você ou vizinhos que você possa ter que deixar? Você já considerou o estresse da cena do namoro? Talvez o mais importante: você ficará aliviado ou paralisado pela solidão a que pode estar sujeito, dia após dia, depois que você e seu parceiro se separarem?

Repense

Deixe que ele se expresse brevemente, mas expresse com firmeza que você já se decidiu. Não dê esperança a ele se não houver perspectivas de reconciliação .

Se você está aberto à reconciliação, meça sua temperatura e aguarde sua resposta. Se ele tocar no assunto, você pode ter uma lista mental de suas demandas e deixar claro que não se conformará com menos.

Mais uma vez, você precisa deixar claro o que é necessário para ser feliz no relacionamento antes de iniciar esta conversa.

O que você precisa dele para continuar casada? É aconselhamento? Mais ajuda em casa? Mais suporte? Fim dos comportamentos imprudentes e prejudiciais? Mais espaço? Volte para sua pasta de trabalho e analise sua lista de relacionamentos essenciais.

Dê a ele um prazo razoável para agir. Você não quer desperdiçar sua vida em um relacionamento sem esperança. Deixe-o saber que você está disposto a tentar novamente – se ele fizer a sua parte.

Terapia de casal para divórcio

Terapia de Casal Online

Na terapia de casal e de família online busca-se identificar onde as interações estão problemáticas e procurar modos de melhorar o relacionamento.

A terapeuta Dolores Bordignon atende em Porto Alegre e pela internet, especialmente pelo Skype e Whatsapp. Tem grande experiência mais de 25 anos de experiência com famílias e casais.


A terapia de casal para divórcio ou separação pode dar algum sentido ao que parece ser uma catástrofe. Casos amorosos, traição e discussões são geralmente sintomas de problemas mais profundos que já existem no relacionamento há algum tempo. Isso pode estar relacionado a problemas de comunicação ou questões de confiança que não foram resolvidos.

Como casal, pode ser útil encerrar suas vidas juntos. Ter um ‘final’ pode permitir que você entenda melhor o que foi bom e o que foi menos útil no relacionamento. O aconselhamento pode ser uma oportunidade para explorar os problemas mais profundos, que passaram despercebidos ou pareciam impossíveis de lidar. Essa chance de minimizar a mágoa e a hostilidade pode permitir um futuro menos amargo.

O aconselhamento pode ajudar a resolver questões relacionadas à separação e divórcio por meio de:

  • Minimizando o impacto nas crianças e outros membros da família.
  • Ajudando a entender o que aconteceu.
  • Permitindo mudança e progressão.
  • Oferecendo perspectiva e fechamento.

Obviamente, a terapia de casal pode fazer o exato oposto, dando um novo sentido ao casal e reatando o casamento. Saiba mais:


O que fazer para não se divorciar

Como voltar para o ex marido

Como evitar o divórcio com as 5 linguagens do amor

Como salvar seu casamento com terapia de casal

Como convencer seu marido de que vocês precisam de terapia de casal

Como reconquistar amor no casamento

Generosidade no casamento


Se crianças estão envolvidas

Se você tem filhos, deverá tomar providências para cuidar de seus filhos e compartilhar o apoio financeiro para eles com seu ex-parceiro. Concordar sobre essas coisas é diferente da papelada legal que oficialmente encerra seu relacionamento.

Com todas essas mudanças acontecendo, a separação pode afetar as crianças de várias maneiras. Embora você possa pensar que conhece seu filho melhor do que ninguém, os sentimentos dele nem sempre são óbvios, até mesmo para você. Então, como você mantém seu filho atualizado sem ferir seus sentimentos?

Seis etapas do divórcio

  1. Negação: “Esta escalada é uma completa perda de tempo. Eu deveria estar em casa tentando salvar meu casamento ”
  2. Raiva: “Este divórcio é caro. Por que isto está acontecendo comigo? Eu não planejei isso. ”
  3. Barganha: “Eu faria qualquer coisa para voltar atrás e acertar as coisas com meu cônjuge. E se eu não conseguir? Meus filhos vão ficar bem? ”
  4. Depressão: “Perdi meu cônjuge e alguns amigos em comum. Eu não consigo dormir Eu me sinto tão solitário.”
  5. Aceitação: “Já não idealizo o meu passado. Este processo me ensinou o quão forte eu sou. ”
  6. Reconstruindo: “Estou animado para encerrar este capítulo e começar a criar um futuro feliz.”