Como falar sobre a falta de sexo no casamento e trazer a intimidade de volta?

Infelizmente o casamento sem sexo tem sido uma situação cada vez mais popular entre homens e mulheres. Eu sou terapeuta de casal e abordo este tema frequentemente. Seja no consultório ou na terapia online, este problema surge em cada sessão de terapia de casal.

Como você aborda um relacionamento sem sexo

Já faz algum tempo que você faz sexo e isso está te deixando um pouco ansioso. Com uma agenda agitada, a falta de sexo se torna uma parte da vida que ninguém quer realmente abordar. O medo de parecer vulnerável, junto com o medo da rejeição, muitas vezes o impede de iniciar uma conversa sobre o assunto. Então, como você aborda um relacionamento assexuado – um período de seca que você pensou que iria acabar?

A falta de sexo não significa a proximidade do fim de um relacionamento. Os estágios de intimidade que um casal atravessa são legítimos e um período de seca cai em um estágio específico. Nesse estágio, a ansiedade de não ser capaz de satisfazer as necessidades sexuais pode refletir também nas outras partes emocionais da vida. O acúmulo de frustração sexual também pode causar uma deterioração no relacionamento. Portanto, é vital que o casal converse sobre isso e acabe com a frustração.

O que é normal para você? Talvez você nunca tenha sido o casal que fazia sexo todos os dias. Talvez você jogue quatro noites por semana e agora não faz sexo há dois meses.

Comunicar-se com eficiência é crucial

Seu relacionamento precisa prosperar na comunicação. Lembre-se que não é uma briga: a conversa deve ser iniciada a partir da curiosidade; algo como “Eu me pergunto como é que não fazemos mais sexo com frequência” em vez de “Por que você não faz mais sexo comigo?” É fácil esquecer que há duas pessoas no relacionamento e é mais fácil jogar a culpa do que assumir a mesma responsabilidade pelo período de seca.

Comunicar-se com eficiência é crucial

Escolhendo o momento certo

Você pode estar em um relacionamento que mora, mas sabe quando é hora de iniciar a conversa. Você não pode começar quando seu parceiro entra pela porta da frente, depois de um dia de trabalho, todo cansado e suado. Além disso, começar a conversa antes de dormir vai parecer mais um sequestro. De preferência, a palestra deve ser iniciada dentro de casa, em casa, ao invés de um lugar público.

Escute com atenção

A maioria das pessoas não são bons ouvintes. Então, quando você realmente se senta para falar sobre isso, em vez de pensar em sua resposta quando seu parceiro está falando, é saudável ouvir completamente, processar na mente e responder como achar melhor. É fácil presumir que o período de seca está acontecendo porque seu parceiro não o acha mais atraente ou a infidelidade pode ser o problema. No entanto, este é o momento em que se deve ouvir ativamente e se envolver na conversa, em vez de tentar resolver o problema. Os psicólogos costumam explicar que a falta de sexo pode estar ligada a outras áreas problemáticas do relacionamento que ainda não foram totalmente resolvidas. Ou pode ser resultado de distúrbio mental, dor física, baixo desejo sexual, trauma, etc. Para descobrir o motivo exato,

Envolva-se na conversa em vez de tentar resolver o problema

Delicie-se com coisas não sexuais

Talvez seu parceiro sinta a mesma falta de sexo, mas não consegue falar sobre isso devido à sua agenda agitada. A comunicação eficaz trará de volta a intimidade. Se for por causa do baixo desejo sexual de seu parceiro, há coisas a fazer para ajudá-lo. Passar um tempo juntos, companheirismo, reviver o primeiro encontro trará de volta a distância emocional que pode ter causado a falta de sexo em sua vida. Amasso como no início do relacionamento é uma maneira doce de acabar com a falta de intimidade. Beijos repentinos, dar um passeio à noite, deitar na cama conversando sobre o travesseiro antes de ambos adormecerem – são algumas maneiras de entrar lentamente no clima sexy.

A comunicação percorre um longo caminho para resolver qualquer problema no relacionamento. Tudo que você precisa fazer é dar o primeiro passo para falar sobre isso. Consultar um terapeuta de casal também pode ser útil.