skip to Main Content
Como Evitar O Divórcio: 13 Maneiras De Salvar Seu Casamento

Como evitar o divórcio: 13 maneiras de salvar seu casamento

A melhor maneira de superar o divórcio é evitá-lo completamente. Às vezes, o divórcio é inevitável. Mas se você ainda está apaixonado e em um relacionamento sério, então a carta do divórcio é a última que você vai querer jogar. Salvar um casamento é, de longe, uma jogada melhor, especialmente quando você tem alguma ideia de como fazer isso.

Quando as coisas começam a ficar ruins, elas podem realmente piorar, a menos que você e seu cônjuge façam mudanças conscientemente para reverter as coisas.

Aqui estão algumas maneiras de fazer isso acontecer.

13 maneiras de salvar seu casamento fracassado

1 – Tomar responsabilidade

O casamento é uma parceria que ambos firmaram e isso significa que você concordou em ser responsável por suas ações como parte dessa união. Às vezes, quando as coisas ficam difíceis, um cônjuge ou outro achará mais fácil apontar o dedo da culpa para outra pessoa, em vez de apontar o dedo da culpa para a pessoa no espelho.

Se você está no casamento, é responsável por muito do que acontece, bom e ruim, desde o dia em que diz “aceito” até o fim do casamento. Se você está sendo honesto consigo mesmo, deve aceitar qual foi o seu papel em piorar as coisas. Você não precisa se culpar, você só precisa não mentir para si mesmo antes de começar a melhorar as coisas.

2 – Fique quieto e ouça

Há uma razão pela qual recebemos duas orelhas e uma boca. Em alguns casos, quanto mais você fala, mais é como colocar gasolina em uma fogueira. Remova a fonte de combustão e a chama se extinguirá, dando a vocês dois a chance de se reagrupar e repensar como querem abordar seus problemas. Cuidado com a solidão no casamento.

Os cônjuges que estão com raiva ou com medo atacam e têm a tendência de fazer com que seu ponto de vista seja ouvido em alto e bom som. Outras vezes, tudo que eles querem fazer é desabafar e isso os fará se sentir melhor. Uma maneira de resolver problemas é deixar que o outro cônjuge fale e resolva verbalmente as coisas enquanto você permanece em silêncio e atento.

Claro, o truque é permanecer atento.

Uma coisa é ficar quieto e ouvir, outra é desligar alguém enquanto está abrindo seu coração. É quando tentar fazer a coisa certa se torna fazer a coisa errada porque você não colocou esforço suficiente nisso.

E se você está preocupado em ser afogado em uma conversa unilateral, não se preocupe. Lembre-se de que quanto menos palavras você usar, mais peso cada uma terá. Em algum momento, você terá a chance de expressar seu ponto de vista. Do contrário, talvez seu casamento já tenha acabado e você ainda não tenha descoberto.

3 – Esteja perto de pessoas em relacionamentos saudáveis

Você é quem você se associa. Se você ou seu cônjuge só andam com outras pessoas divorciadas ou com relacionamentos difíceis, adivinhe? Você será bombardeado com mensagens tendenciosas e negativas sobre a vida de casado, algumas delas raivosas e intencionais, outras tristes e não intencionais.

Seus amigos e membros da família bem casados ​​podem ajudá-lo e dar-lhe apoio, ajudando-o a modelar como sua vida de casado pode ser. Você verá um exemplo de funcionamento positivo que pode ser obtido. Também é mais provável que você saia se sentindo bem sobre o estado do casamento em geral do que se mergulhar em um monte de conversa fiada.

4 – Redescubra o compromisso novamente

Quando os casais brigam, isso pode rapidamente se transformar em cada pessoa por si. Se você tem a sensação de que seu casamento está se encaminhando para as portas de saída, por que não tomaria medidas para levar tudo que pudesse? É uma espiral descendente que, na maioria das vezes, só contribui para um final ruim.

Se você quiser mudar as coisas, terá que fazer um trabalho melhor de compromisso. Pode começar com pequenas coisas também (ela quer comida mexicana para o jantar, você quer comida chinesa … deixe ela comer mexicana!). Com compromissos suficientemente pequenos, o verniz de desespero logo deve começar a derreter. Você descobrirá que o meio-termo é um lugar muito melhor para se estar do que na rua.

Você ficará totalmente feliz quando fizer concessões? Absolutamente não. Essa é a natureza do compromisso. Mas meio pão é melhor do que pão nenhum, certo?

Escolha o que é realmente importante para você. Ouça o que é realmente importante para seu cônjuge. E então se envolva em dar e receber. Lembre-se do poder do carinho e do toque físico no casamento.

Colocar a felicidade de seu cônjuge acima da sua nas questões da vida também não passará despercebido. Fazer esse esforço para se comprometer é uma das maiores chaves para salvar seu casamento.

5 – Busque terapia de casal ou aconselhamento

Terapia de casal funciona de verdade para o seu casamento. Esta é uma etapa fácil para alguns casais, mas não tão fácil para outros. Expor seus problemas abertamente na frente de um terceiro neutro é intimidante para algumas pessoas, especialmente se elas se sentem culpadas ou culpadas por grande parte do rompimento do casamento.

Mas há uma razão pela qual tantos casais procuram aconselhamento matrimonial. Na maioria das vezes, funciona.

Terapia de Casal Online

Na terapia de casal e de família online busca-se identificar onde as interações estão problemáticas e procurar modos de melhorar o relacionamento.

A terapeuta Dolores Bordignon atende em Porto Alegre e pela internet, especialmente pelo Skype e Whatsapp. Tem grande experiência mais de 25 anos de experiência com famílias e casais.


O aconselhamento é um processo e uma maneira de romper os bloqueios emocionais dos quais você talvez nem tenha percebido em seu casamento. Há coisas que você faz que seu cônjuge odeia e das quais você não tem ideia. O mesmo certamente se aplica a você.

O aconselhamento pode revelar as arestas desagradáveis ​​de um casamento. Ainda mais importante, um terapeuta pode descobrir essas coisas de uma forma não ameaçadora e fornecer estratégias para começar a consertar o que pode estar quebrado.

O problema do aconselhamento é que você precisa estar comprometido com o processo e estar disposto a trabalhar. Se você entrar lá com a atitude de “Só estou fazendo isso com relutância porque meu cônjuge está me obrigando”, então por que se preocupar em ir?

A terapia de casal pode ser uma experiência surpreendente, ajudando você a colocar rótulos e significados em comportamentos destrutivos. Uma vez identificados, é muito mais fácil trabalhar com eles e mudar esses comportamentos para melhor.

E se você está hesitando em fazer terapia por causa do custo, dê um passo para trás e considere qual será o custo financeiro de um divórcio.

A terapia de relacionamentos pode não salvar todos os casamentos, mas é uma ferramenta eficaz que você precisa considerar seriamente se tiver algum vislumbre de esperança em salvar seu casamento.

Saiba mais sobre terapia de casal

6 – Reorganize suas prioridades

Se você deseja salvar seu casamento quando ele estiver em apuros, ele precisa ser a prioridade número um em sua vida. Isso inclui colocá-lo acima de seus filhos, de seu trabalho ou de qualquer outra coisa que chame sua atenção.

Isso não quer dizer que você precise excluir todo o resto, porque isso só gerará ressentimento conjugal; você só precisa colocar seu relacionamento no topo da pilha de todas as camadas de sua vida.

Em vez de sair com as garotas em um sábado à noite, em vez de ficar com os caras para assistir a outro jogo, em vez de fazer compras, desaparecer durante o dia fazendo recados ou o que quer que seja que você faça com seu tempo, comprometa-se a gastar tempo em em vez disso, seu casamento.

Não há necessidade de exagerar, mas você precisa fazer isso na medida em que seu cônjuge perceba plenamente que eles se tornaram o foco principal de sua vida novamente.

O outro benefício de fazer isso quando você tem filhos é que isso transmite a eles uma forte mensagem de que seus pais se amam e que essas ações também aliviam o estresse.

7 – Pare de ser um idiota

Você sabe do que estamos falando. São todas essas pequenas interações que constituem um casamento que, por si só, não vão condená-lo, mas, quando tomadas em conjunto, podem gerar um sério ressentimento. Saiba como um homem pode reconquistar sua esposa em um casamento em crise.

Cortar pequenos comentários sobre a aparência ou atitude da outra pessoa, não se lembrar de comprar as coisas certas no supermercado, empurrar as crianças para o seu parceiro quando você sabe que deve fazer parte do que quer que esteja acontecendo, propositalmente não respondendo ao seu telefone, criticando sua comida, muito sarcasmo, piadas ou brincadeiras inadequadas, chamando seu cônjuge de gordo, e assim por diante e assim por diante.

Muitas vezes, isso está enraizado no comportamento egoísta ou mesquinho, em vez do nível de amor incondicional que é a pedra angular de um casamento saudável.

Certas críticas são inevitáveis, mas escolha seus pontos e aprenda a fazê-lo da maneira certa e somente quando for necessário. Não jogue o cartão MIA a menos que seja por um bom motivo. Comunique-se com antecedência e com frequência.

Se você está tendo um dia ruim, não desconte na única pessoa que supostamente é seu melhor aliado. Em vez disso, diga a eles que você está apavorado ou o que está incomodando. Peça ajuda. E quando o sapato está no outro pé, você também precisa dar um passo à frente. Dê tanto, senão mais, do que você recebe.

Compreenda a linguagem do amor do seu cônjuge

Saiba quais são as 5 linguagens do amor e como descobrir a linguagem do amor do seu marido.

8 – Retire qualquer argumento muito cedo ao invés de muito tarde

Quando você sentir que uma discussão está prestes a se tornar nuclear, dê um passo para trás e diminua a escalada ou adie até que vocês estejam em um estado de espírito melhor. Você nunca pode retirar nada do que foi dito no calor da batalha e, no calor da batalha, seu cônjuge tem a tendência de se lembrar de tudo com uma quantidade anormal de detalhes e clareza.

Claro, você terá desentendimentos. Mas você tem que concordar em como discordar. Reconheça a raiva da outra pessoa, ouça com atenção, mantenha suas próprias emoções sob controle e, se sentir que uma batalha está se formando, encontre uma maneira de sair graciosamente.

A raiva é feia. A raiva é destrutiva. A raiva não tratada construtivamente é um caminho rápido para o divórcio.

Lembre-se de que todo mundo fica sujo quando começa a confusão.

9 – Mantenha seus vícios sob controle

Muitas pessoas recorrem às drogas e ao álcool para amortecer a dor de um relacionamento que está em apuros. Se você vai afogar suas mágoas, faça-o com moderação.

Se um dos cônjuges tem um problema de dependência particularmente grave que não consegue controlar, isso pode destruir rapidamente até mesmo o casamento mais forte. Se esse cônjuge é você, decida se quer continuar dançando com esses demônios ou voltar ao que o atraiu em primeiro lugar.

Lembre-se de que, se as drogas ou o álcool forem parte do motivo do divórcio, esses vícios podem ser usados ​​contra você em muitos estados. Eles podem ter um grande impacto em uma divisão de bens, pensão alimentícia e problemas de visitação de crianças. Se o seu vício for ruim o suficiente, você só verá crianças com visitas supervisionadas ou, em alguns casos, nem verá.

Existem outros vícios destrutivos que também podem arruinar seu casamento. Ser um shopaholic ou ter um vício em pornografia também pode levar a danos prejudiciais ao casamento.

Se você tem uma personalidade viciante, peça ajuda antes que ela destrua não apenas seu casamento, mas também toda a sua vida.

10 – O seu mundo externo está acionando o seu mundo interno?

Há tantas pressões externas sobre as pessoas hoje em dia que, muitas vezes, o que está acontecendo no trabalho ou na vida social pode se transferir para o seu casamento. Você precisa dar um passo para trás e decidir se volta do trabalho para casa de mau humor todos os dias e, em caso afirmativo, como isso pode estar afetando seu relacionamento. Se você chega em casa querendo descarregar, pode estar direcionando mal sua raiva para uma pessoa que não a merece.

O mesmo também se aplica às relações familiares. Em vez de ser uma alegria, há situações em que reuniões familiares podem sobrecarregar um casamento que já pode estar sob uma pequena tensão. Se você tem um parente que bebe demais, defende pontos de vista políticos distantes do centro ou tenta converter todos que encontra à sua maneira de pensar sobre religião, esses podem ser gatilhos que deixarão um casal de mau humor.

Nem sempre você pode escapar dessas reuniões, mas quanto mais cedo as reconhecer como uma possível fonte de conflito que está afetando seu casamento, mais cedo você poderá descobrir essa parte desagradável de sua vida e separá-la de seus próprios problemas.

11 – Reformule sua mentalidade de divórcio para salvar seu casamento

Se o divórcio continuar pressionando seu cérebro, é nisso que você vai se concentrar como um curso de ação. Se você quer salvar seu casamento, é assim que você precisa encarar sua missão. Coloque as coisas sob uma luz positiva e construtiva. Saiba como aplicar a linguagem do amor dos atos de serviço.

Comece a procurar maneiras de salvar seu casamento em vez de registrar as coisas que serão usadas como justificativa para o divórcio.

Ao conversar com amigos bem-intencionados, peça conselhos sobre como eles trabalhariam para um resultado positivo, em vez do que precisa ser feito legal e financeiramente para se proteger contra um possível divórcio.

Quanto mais você fala e pensa sobre isso, mais provável é que aconteça. Isso se aplica tanto ao divórcio quanto a salvar seu casamento.

A perspectiva é tudo.

12 – Trabalhar em pequenos passos vs. o grande momento “a-ha”

Foi uma série de pequenas coisas que se transformaram em uma bola de neve em sua atual situação infeliz e será uma série de pequenos e positivos passos para colocar seu casamento em um lugar melhor. Não existe uma única varinha mágica que você possa acenar, nenhum momento “a-ha” em que você é transportado para um relacionamento novo e totalmente restaurado.

O casamento é um trabalho árduo. E o trabalho árduo é um código para fazer milhares de pequenas coisas, da melhor maneira possível para construir um corpo de confiança entre você e seu cônjuge.

A vida real não é um filme Hallmark. Pode ser cheio de prazeres inesperados e decisões perigosas que podem atrapalhar você de muitas maneiras. Você precisa estar atento todos os dias ao que está fazendo e como isso afeta seu casamento, tanto o bem quanto o mal.

Eventualmente, qualquer comportamento ruim será substituído por comportamentos e decisões positivas que você tomar. Portanto, rasteje antes de andar. Ande antes de correr. Corra antes de voar. Não deixe de fora todos os detalhes e as minúcias necessárias para tornar um casamento mais saudável. É aí que as batalhas são vencidas.

13 – Torne seu casamento mais fundamentado ao compreender o conceito de espaço

Casais que estão juntos 24 horas por dia, 7 dias por semana, correm o risco de esgotamento do relacionamento. Cada pessoa precisa de tempo e espaço pessoal para recarregar e processar os eventos do mundo. Entenda a privacidade no casamento, entendendo o papel de cada um.

Quando você sufoca seu cônjuge, seja porque você é carente ou não confia nele, mais cedo ou mais tarde haverá um acúmulo de ressentimento. O ressentimento coloca todos os tipos de emoções ruins em jogo, minando o que poderia ser um casamento saudável.

Cada casal é diferente e, portanto, a quantidade de tempo longe um do outro também será diferente. Você já deve ter uma ideia de quanto tempo pessoal precisa e do tipo de saída de que precisa para manter seu casamento como uma parte importante, mas não exclusiva, de sua vida.

O outro lado disso é que quando você pede ou concede um tempo longe um do outro, não abuse do privilégio. Não vá e faça coisas estúpidas, como ficar bêbado em uma boate e fazer papel de bobo, ou gastar dinheiro que você não tem.

Use o tempo de forma construtiva. Converse com os amigos. Persiga um hobby. Seja voluntário em uma instituição de caridade. Faça coisas que façam você se sentir bem. Esse burburinho positivo que você recebe será transportado para sua vida doméstica.