skip to Main Content
Anda à Procura De Si Mesmo?

Anda à procura de si mesmo?

Quem sou eu? Esta é uma pergunta que você já deve ter feito a si mesmo algumas vezes ao longo da sua vida (ou pode fazê-la pela primeira vez agora, ao ler este texto).

Tudo começa na infância

Desde os primeiros momentos de vida de uma criança, forma-se aquilo que chamamos personalidade e sentido de identidade.

A maneira como somos cuidados (ou não cuidados) pelas nossas figuras de vínculo afeta a forma como começamos a ver e entender o mundo. É natural que uma criança que sofre algum tipo de negligência ou abuso (físico e/ou emocional) tenda a ver o mundo como um lugar perigoso e imprevisível, onde é difícil confiar nas pessoas ou olhar para o futuro como positivo e agradável. Por outro lado, uma criança criada no seio de uma família que cuida dela com amor incondicional, carinho e tranquilidade, que lhe dá espaço de autonomia e lhe permite vulnerabilizar-se sem a castigar, tende mais facilmente a gerir a sua vida consciente das suas capacidades e a confiar nas pessoas à sua volta.

De qualquer forma, estas associações podem não ser tão lineares se, em algum momento, o percurso de vida se alterar e ocorrerem acontecimentos que permitam a resolução ou acentuação de processos dolorosos.

Ao longo da vida

Os acontecimentos na vida estudantil, profissional e relacional têm impacto e podem influenciar como nos expressamos emocionalmente e lidamos com conflitos, como somos mais passivos, agressivos ou assertivos e até os sintomas psicológicos que desenvolvemos (quadros ansiosos, depressivos, obsessivo-compulsivos, entre outros).

Vivemos também numa época em que se é muito mais valorizado pelo “ter” e pelo “fazer” do que pelo “ser”. Muitas vezes definimo-nos quase exclusivamente por aquilo que temos em bens materiais ou pela profissão que exercemos, esquecendo a pessoa que sente, pensa, observa, se relaciona. Olhamos para o nosso futuro mais como aquisição de conhecimentos, obtenção de bens ou aquisição de competências e menos como crescimento e desenvolvimento pessoal que podemos também desenvolver.

Olhar para a nossa história de vida de uma forma produtiva e resolver dentro de nós e com os outros algumas destas dores emocionais e padrões de funcionamento nos ajuda a encontrar o bem-estar que tanto procuramos.

Ajuda profissional

Profissionais podem ser fundamentais neste caminho, uma vez que nos ajudam a nos conhecer e a reconhecer os outros de uma forma guiada, ao ritmo que cada pessoa consegue ir. Terapeutas e psicólogos procuram dar às pessoas um entendimento racional das potencialidades e das dificuldades que temos no presente e nos ajudam de forma mais tranquila a obter o bem-estar que procuramos. Aprendemos, assim, a ceder sem remorso ou raiva, aprendemos a comunicar sem agressividade ou reatividade. Aprendemos, por fim, a nos apaziguarmos com nós mesmos e com os outros em seu redor para, a partir daí, construirmos redes e caminhos bem-sucedidos.

A escola Menthes foi criada pelo psiquiatra Augusto Cury para promover esta liderança interna. Os cursos ensinam estratégias para o desenvolvimento da Inteligência Emocional, gerando alunos autônomos, capazes de gerir suas próprias emoções. Conheça esta iniciativa pioneira no Brasil. A Menthes Porto Alegre fica na R. Felipe de Oliveira, 1397 – Bairro Petrópolis. Ligue para nós hoje mesmo, agende uma aula experimental gratuita: (51) 3024.3088.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.