skip to Main Content
Você Comunica Ao Seu Filho Ou Se Comunica Com Seu Filho?

Você comunica ao seu filho ou se comunica com seu filho?

Você comunica ao seu filho ou se comunica com seu filho? A diferença entre ambas é brutal e determinante para a sua relação familiar.

Em nosso projeto, A Família que Queremos, trabalhamos com a Comunicação não-violenta, com a Psicologia Positiva e com a Inteligência Emocional. O ensinamento desta união de vertentes é um só:

Educar não é punir.

O que aprendemos é que somos sim capazes de nos comunicarmos com nossos filhos até mesmo nos momentos mais difíceis (tanto para nós quanto para eles).

Aprendemos a desenvolver uma comunicação mais evoluída, que busque um ser humano que se sinta compreendido, dentro de limites.

Este ser humano será capaz de dar respostas, e não reações.

Esta é a diferença-chave. Ao comunicar algo a alguém, você obterá uma reação.

Ao se comunicar com alguém, você receberá uma resposta.

Faça parte do projeto A Família que Queremos. Envie um WhatsApp para a psicopedagoga Dolores Bordignon (51 99991.9298) ou para a naturóloga Fabiane Arnold (51 98142.3369) e registre seu interesse nos próximos eventos!

Não há nada de novo neste ensinamento. O psicólogo austríaco Alfred Adler (1870 – 1937) fundou a psicologia do desenvolvimento individual juntamente com um grande movimento humanista na época.

Assim como as crianças precisam de treinamento, os pais também precisam ser treinados. O treinamento consiste em aprender novas respostas às provocações das crianças, e que pode levar a novas atitudes e abrir novos caminhos onde florescem relacionamentos harmoniosos.”

Alfred Adler

Alguns anos depois, o psiquiatra e educador Rudolf Dreikurs criou um método a partir da obra de Adler para estimular um comportamento de cooperação nos sistemas humanos (famílias, equipes, casais).

O objetivo é ensinar como encorajar crianças e adolescentes, casais e colaboradores das empresas a se tornarem responsáveis, respeitosos, resilientes e com recursos para solucionarem problemas por toda a vida.

O objetivo é aprender a ter firmeza com afeto.

Este é um dos mais completos conceitos de saúde, seja em sistemas familiares, seja na relação que temos com nós mesmos, em nosso cotidiano: disciplina com amor. Lembremos que disciplina vem do latim discipulus, e discípulos precisam de bons professores para aprender.

Como encontrar o equilíbrio entre ambos? Como não ser rígido em excesso ou afetuoso ao grau complacência?

Esta flexibilidade surge quando aprendemos a manter os limites.

Manter a presença daquilo que é certo e errado para o adulto (dentro do bom senso). Mas, estes valores serão passados à criança de uma forma que ela se sentirá compreendida.

Esta criança deve se sentir compreendida na ação que está executando.

Por exemplo, se seu filho está tendo uma ação de raiva, nós vamos dizer que sim, compreendemos a raiva dele. Mas, mesmo frente à raiva, ele precisa agir sobre si mesmo de uma forma construtiva (para ele e para toda a família).

Esta pequena mudança transformará a forma com que você entende o conceito de educação. Não será mais educar para alcançar um objetivo, como impedir que seu filho jogue algo no chão.

Estamos falando sobre educar um ser humano a lidar consigo próprio no mundo, através de diferentes experiências.

Esta abordagem impactará não apenas a relação com a sua família, mas o resto da vida interna e social do ser que você trouxe ao mundo.

Este é o seu papel como pai e como mãe, como esposa ou marido, como líder de seres humanos: educar com firmeza e afeto.

avatar

Dolores Bordignon

Palestrante, Psicopedagoga e Coach

Dolores Bordignon tem mais de duas décadas de experiência clínica, somando centenas de casos individuais e equipes que desejam construir novos paradigmas. Suas palestras e workshops trazem à luz a inteligência emocional para a fluidez nas relações pessoais, profissionais e familiares.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.