skip to Main Content
Trabalhabilidade: Conheça O Conceito Que Define O Futuro Profissional De Seus Filhos

Trabalhabilidade: conheça o conceito que define o futuro profissional de seus filhos

Estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), realizado no ano passado, concluiu que 65% das crianças de hoje trabalharão em profissões que nem mesmo ainda existem.

Seus filhos entrarão em um novo universo profissional, um novo paradigma de gestão online das empresas, em que o conceito da empregabilidade, que regeu o mercado no passado recente, será (já está sendo) substituído pela ‘trabalhabilidade’.

A trabalhabilidade é a capacidade de desenvolver e aprimorar competências que trazem benefícios reais e momentâneos. Isso engloba o envolvimento com outras pessoas da equipe, o entendimento das noções de liderança, trabalhar sob pressão e até compreender e maximizar as qualidades dos funcionários.

Quem está preparando seu filho para esta nova realidade?

Comece sua jornada de compreensão dos jovens nativos digitais. Participe da palestra com a psicopedagoga Dolores Bordignon, Como educar filhos na era digital, que acontece dia 20, 18h30, na Menthes Porto Alegre.

No mundo da trabalhabilidade, o sujeito precisa estar pronto para exercer diversas funções em inúmeros projetos ao mesmo tempo, sem ter que bater ponto ou vestir o uniforme da empresa.

Para cruzar este novo mundo, a Comissão Internacional sobre Educação para o Século 21, apontou os quatro pilares da #NOVAEDUCAÇÃO:

1 – APRENDER A FAZER

Educadores devem estimular oportunidades para que os jovens desenvolvam habilidades ligadas à resolução de problemas. Para isso, os jovens devem ter alto grau de inteligência emocional, aplicando todo o conhecimento construído, enfrentando situações profissionais, trabalhando em equipe e negociando sentidos e pontos de vista.

2 – APRENDER A SER

Para que as ações dos jovens sejam sempre pautadas pela capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Para tal, devem desenvolver uma postura mais cooperativa e, ao mesmo tempo, fortalecer suas potencialidades individuais: memória, raciocínio, sentido estético, capacidade física, aptidão para a comunicação e, acima de tudo, autoconhecimento.

3 – APRENDER A CONVIVER

Desenvolver capacidades da inteligência emocional, como a compreensão do outro e a percepção das interdependências, desenvolvendo a tolerância e superando antigos paradigmas.

4 – Por último, a mais importante: APRENDER A APRENDER

Os anos de estudo não estarão mais concentrados entre a infância e a juventude. Tampouco, o conhecimento terá uma aplicação única, sendo a capacidade de transformar as informações em atitudes práticas e agregadoras para o universo individual e coletivo.

Novas tecnologias e novos modelos de negócio criam um ambiente bem diferente do que a maioria de nós conheceu e trabalhou. Nossas escolas ainda insistem em manter um modelo que prepara o aluno a seguir uma carreira linear, focada em uma única área de conhecimento e onde as habilidades técnicas são mais importantes do que as habilidades sócio-emocionais e a capacidade de criar e inovar.

Os pais entram como pontes nesta lacuna: seja exemplo. Se você ainda não faz parte do mercado da trabalhabilidade, esforce-se para participar dos novos tempos e leve seu filho neste desafiador aprendizado profissional.

Siga Dolores Bordignon no Facebook e acompanhe o conteúdo atualizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *