skip to Main Content
Nenê Em Casa? Veja As 5 Questões-chave Para Novos Pais (e Novas Mães!)

Nenê em casa? Veja as 5 questões-chave para novos pais (e novas mães!)

Passeava pelas ruas no final de 2018 e observei uma quantidade grande de grávidas. Fiquei pensando no que dizer para estas novas famílias que estavam prestes a se formar no início de 2019.

Começar o ano com um nenê em casa tem toda uma simbologia, certo? Ano novo, vida nova. Tudo parece muito bonito nas fotos das mídias sociais.

Mas, as questões que estas pessoas estão cruzando aparece na lista dos maiores desafios que alguém pode viver.

Então, me propus a compilar alguns fatores básicos para conversarmos. Não são poucos os casais que me procuram nesta fase tão atípica.

Hoje, vou te passar o que aprendi ao longo de décadas de estudo e prática clínica no que toca os chamados “novos pais” e “novas mães” (usarei “pais” em termos geral, relacionado à “parentalidade”).

Pesquisas mostram que os casais se tornam menos satisfeitos com seus casamentos quando o nenê chega na família. Por mais que estes pais tenham se preparado, é impossível aprender a ter um filho antes de ter o filho. Parece óbvio, mas grande parte subestima o tamanho do desafio.

Isso acontece porque a maioria dos casais foca apenas na criança, quando o real desafio que se apresenta, e pelo qual todos os casais passarão, é como criar um pequeno ser humano e manter o relacionamento saudável ao mesmo tempo.

Não haverá filho saudável se o casamento estiver ruindo. Ao mesmo tempo, é uma fase em que a relação ficará em segundo plano. O que fazer?

Casamento com um nenê em casa

Um estudo revelou que 67% dos casais se tornaram muito infelizes um com o outro durante os três primeiros anos de vida do nenê. Apenas 33% se mantiveram felizes.

Me repito: três anos. 67% dos casais. Não é pouco.

Todas as grandes transições geram desafios. Isso é inevitável. É natural discutir com o parceiro sobre problemas ligados à parentalidade, dinheiro (haja dinheiro nessa fase!), tarefas de casa e expectativas no casamento.

Mas, por mais que isso assuste, é bem possível chegar a uma solução em que todos serão felizes.

Diferentes estilos de pais e mães

As diferenças no estilo de parentalidade são uma causa crescente de preocupação no casamento. As questões podem surgir nos casais antes mesmo do nenê nascer se não houver um sentido de unidade e de conexão neste casal.

Talvez, seu marido prefira uma rotina bem estruturada e você precisa algo mais solto e relaxado. Talvez, questões mais simples, como quando trocar o nenê ou como segurá-lo gerem brigas no começo.

Independentemente do problema, são focos de tensão na relação, principalmente se os conflitos acontecem repetidamente.

É fundamental que vocês aprendam a lidar com o estresse e com o conflito – para que vocês consigam compreender o ponto de vista do outro. Empatia é a chave aqui.

Atribuição de tarefas: reorganizando a rotina

Se sua esposa precisa de estrutura máxima nesse momento, é porque ela está um caos interno, seja hormonal ou mental. Ela precisa disso.

Se seu marido precisa ser mais relaxado nesse momento, é porque ele não sabe viver com base em planejamento estrito e prevenção de possíveis problemas. Ele não sabe.

A resposta, aqui, é diálogo e empatia.

Você não acusará o outro de nada. Você mergulhará em si mesma e falará como você se sente. Apenas como VOCÊ se sente. O outro não está em pauta.

Ainda, você buscará soluções simples para aliviar suas questões e as apresentará ao outro. São pequenas mudanças práticas que você acredita que ajudarão você a manter o mínimo de equilíbrio nessa hora.

Você ouvirá seu marido, que fará o mesmo exercício, dentro das limitações do homem neste “mergulho interno”, é claro. Peça que ele aponte maneiras objetivas de você o ajudar. Motive-o a falar sobre suas preocupações e medos.

Você se surpreenderia com a carga que os papais atuais enfrentam. Afinal, eles são a primeira geração que perde o exclusivo papel de provedor financeiro e passa a ser mãe junto com a mãe.

Mas, eles nunca foram ensinados a ser mamães. Portanto, ajude-o nessa fase. Ele provavelmente está mais perdido do que você nesse sentido.

Uma vez que vocês observaram os pontos de vista e as necessidades um do outro, vocês vão agir. Se vocês não agirem, a conversa criará apenas um alívio momentâneo.

Porém, são tempos de ação. O bebê precisa de mudança efetiva na rotina. Coloquem aquilo que conversaram em prática.

Criem um cronograma, uma rotina escrita, um quadro, um painel o que for. Ali, estará escrito os dias de pagar contas, os telefones de ajuda, as tarefas de cada um.

– Marido: tirar o lixo da casa todas as quintas e terças.

– Esposa: procurar a nova creche e inscrever o nenê.

– Marido: lavar a louça todas as noites.

– Esposa: dar banho no nenês às 18h.

Se algumas coisas parecem tolas de estarem na lista, não subestime. São tempos de profunda bagunça na rotina e nas emoções. Quanto mais questões forem atribuídas a um dos dois e escritas na tabela, menos conflitos surgirão.

Reduzindo o estresse

A comunicação efetiva é a chave. É o diálogo para construir, não para acusar. É o desabafo que busca e encontra solução práticas, aplicáveis na rotina. É disso que precisamos aqui.

Marque horários para conversar. Peguem aqueles 10min do dia em que vocês conseguem sentar e respirar, se abracem, agradeçam um ao outro por todo o esforço.

Se você não estiver conseguindo reconhecer o esforço do outro, possivelmente é porque a vida está tão corrida, que você está se sentindo afogada pelas tarefas. Isso não é culpa do outro. É algo natural desta fase.

Esforce-se para enxergar o esforço do seu parceiro. Agradeça. Abrace. Converse. Encontre soluções objetivas. Aja.

Estes 10min serão cruciais para restabelecer a confiança no casal. Vocês verão que são capazes não apenas de criar um novo ser, mas como também uma nova vida que funcione para ambos.

Quando você e seu parceiro discordarem sobre algo relacionado ao bebê e não for possível chegar a um consenso, uma terceira voz pode colaborar.

Busque um terapeuta de casal, um coach de casais, alguém capaz de ouvir ambos de forma imparcial e colaborar na construção desta via satisfatória para todos.

Entre em contato

Dolores Bordignon ministra dezenas de oficinas e palestras sobre casais e relacionamentos. Entre em contato com a psicopedagoga e promova um evento em sua instituição. Transforme a vida das pessoas.

Mudanças na vida sexual

Pesquisas mostram que menos de 20% dos casais retornam à vida sexual no primeiro mês após o nascimento do filho. Falamos de motivos reais para isso. Cansaço físico, redução de desejo por questões hormonais, além de demandas constantes do nenê.

Mesmo que a intimidade seja um fator importante para uma relação saudável, é importante criar um ambiente em que os dois estejam confortáveis.

Para isso, converse sobre as expectativas relacionadas ao toque, ao afeto, ao sexo. Seja honesta e emocionalmente inteligente neste momento. Seu marido não está sendo egoísta de querer tocá-la, é a maneira dele de se sentir amado.

Ao mesmo tempo, se você está passando por questões hormonais e mentais, não se sinta forçada a nada. Explique a ele o que está acontecendo com seu corpo e peça ajuda, tanto dele quanto de um profissional neste momento.

Distribuição de tarefas

Nada mais comum do que as tarefas da casa se acumularem quando o bebê surge. Encontrar uma solução para isso é um grande desafio, especialmente se ambos tiverem fatores reais ocorrendo, como voltar ao trabalho.

Para colaborar no acúmulo de obrigações, um planejamento semanal de tarefas é uma ótima ferramenta. Neste momento, vocês discutirão como limparão a casa, quando pagarão as contas, farão supermercado, passarão na farmácia e até mesmo receberão visitas.

Tarefas cotidianas parecem irrelevantes em um texto na internet, mas as discordâncias que elas geram podem facilmente escalar para imensos desabafos emocionais nesta fase tão sensível.

A melhor forma de manter sua mente estável, neste momento, é tendo uma rotina organizada. Conversem sobre suas preocupações. Encontre os pontos onde a rotina do casal está falhando. Busquem soluções conjuntas.

Problemas financeiros

Ter um filho está na lista das cinco experiências mais caras que alguém pode viver. De acordo com um relatório norte-americano, o custo de manter um filho até os 17 anos é de quase 250 mil dólares.

Isso é muito dinheiro.

Portanto, é uma das principais fontes de conflito no casal. Principalmente, se uma das partes não conseguir controlar impulsos com questões mais banais.

Novamente, a solução é sentar e conversar francamente. Criem um planejamento de gastos mensal e anual. Programem gastos com alimentação, roupas, contas fixas, poupança, férias, escola etc.

É muito difícil prever gastos com um nenê – as contas com itens relacionados à saúde da criança podem ser assustadoras. Reserve uma quantia ampla para este quesito.

Cheque se o plano está sendo seguido mensalmente. Sentem e revejam onde podem melhorar.

Se vocês conseguirem colocar estes pontos em seu planejamento de parentalidade, vocês reduzirão os principais fatores de estresse apontados pelos novos pais.

Todos os pontos aqui mencionados não apenas minimizam problemas, mas, o mais importante: criam a real sensação de equipe, de sucesso como um time capaz de construir uma boa vida juntos.

avatar

Dolores Bordignon

Terapeuta e Coach de casais

Dolores Bordignon tem mais de duas décadas de experiência clínica, somando centenas de casos individuais, de famílias e casais que desejam construir novos paradigmas. Suas palestras e workshops trazem à luz a importância da inteligência emocional para as relações pessoais, profissionais e familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *