skip to Main Content
Mulheres No Poder: Lembre-se Do Legado De Mary Kay Ash

Mulheres no poder: lembre-se do legado de Mary Kay Ash

É difícil especificarmos os pontos fortes das mulheres e dos homens de forma hermética. Porém, a força feminina é comumente conhecida por sua multiplicidade, enquanto a masculina por sua estabilidade.

No mundo atual, em que tudo precisa ser constantemente adaptado devido à velocidade das mudanças, as mulheres surgem como grandes líderes.

A liderança feminina é flexível e, ao mesmo tempo, não perde o foco do objetivo primordial do grupo. Tampouco, dos valores e interesses da equipe.

Esta habilidade não é nada comum, infelizmente, mas ela é crucial para cruzar a diversidade de interesses, horários, desejos e metas do mundo contemporâneo.

As equipes não convivem mais em uma única sala. Elas são amplas e abrangem diversos públicos de diferentes culturas. Tampouco, conseguimos estereotipar um funcionário: nossos parceiros de trabalho também possuem características e emoções cada vez mais individuais.

Já o novo consumidor, vai e volta com uma velocidade sem precedentes e os líderes precisam equilibrar a necessidade de competir em escala nacional (ou global) com as condições emocionais e materiais de seus funcionários dentro da empresa.

É aqui que entra a força feminina. Os múltiplos papeis assumidos pelas mulheres cria uma vantagem neste quesito, pois isso previne que a identidade do líder ou até da própria empresa seja tão concretizada, que acaba engessando o negócio em um mercado fluido.

Esta dinâmica feminina é fundamental na hora de segurar o barco emocional de uma equipe e impedir que os funcionários tombem em suas vidas pessoais ou profissionais quando enfrentarem a pressão das metas no trabalho e em casa.

Como a identidade feminina está tão interligada com as relações humanas, a mulher é capaz de sentir que o crescimento da equipe é o seu crescimento. Isso as torna líderes excelentes, capazes de atribuir aos outros o sucesso do grupo e de promover os talentos de cada membro de forma sagaz e compassiva ao mesmo tempo.

Mary Kay Ash, fundadora da empresa de cosméticos Mary Kay, é celebrada mundialmente por inspirar suas funcionárias à grandeza.

Firmemente apoiada na Regra de Ouro, Ash construiu um império mantido por mulheres cujos talentos eram subestimados pelos líderes tradicionais. Mary Kay Ash ensinou a estas mulheres como usarem suas habilidades em benefício de todos.

“Faça aos outros aquilo que você gostaria que fizessem a você”, a Regra de Ouro da liderança de Mary Kay Ash

Mas, a força de Mary Kay Ash é o respeito que ela tinha pelas vidas pessoais e familiares de suas funcionárias e contribuidoras.

Ela criou oportunidades para que suas consultoras equilibrassem as demandas domiciliares e profissionais.

Um bom exemplo é Anne Newbury, uma professora que tinha decidido cuidar da casa e dos filhos até entrar para a Mary Kay, em 1969. Ela cresceu ao posto de Diretora Nacional de Vendas nos Estados Unidos e ganhava comissões de 7 milhões de dólares. Newbury explica como alcançou este feito:

“Mary Kay Ash nos ensinou sobre liderança, mentoria e coaching do que qualquer outra pessoa. Eu teria feito qualquer coisa que ela pedisse, não porque eu a admirava, mas porque eu sabia o que teria sido da minha vida se eu não tivesse escutado seus ensinamentos financeiros, espirituais e emocionais. Ela me orientou e me ajudou a acreditar que eu poderia ser o que eu quisesse.”

A força emocional da mulher é a fundação da sua efetividade como líder. Este é o grande legado de Mary Kay Ash, que deve ser mantido para que a rede de colaboradoras siga alcançando o sucesso da empresa.

Claro, isso não se resume à Mary Kay – é a chave da liderança contemporânea. Por isso, ela era uma mulher à frente do seu tempo.

Uma recente revisão de 48 estudos envolvendo mais de sete mil participantes mostrou que as pessoas mais emocionalmente inteligentes – ou seja, com mais capacidade de compreender e lidar com suas emoções e com as emoções alheias – são mais bem-sucedidas em papeis de liderança.

Este é o exato ponto forte da liderança feminina. A capacidade das mulheres de expressarem emoções significa que elas podem elogiar o outro quando apropriado, construir confiança e lealdade, expressar desapontamento quando necessário e comunicar a hora da mudança – e o novo caminho para chegar lá.

A habilidade feminina de tolerar e lidar com as próprias emoções significa que elas conseguem se manter firmes durante situações difíceis, que são capazes de administrar problemas pessoais da equipe, enfim, que elas conseguem respirar fundo e retomar o foco naquilo que deve ser feito.

Isso porque a boa liderança é aquela que consegue transformar um somatório de pessoas em um grupo coeso e, das diferenças, construir uma única visão de equipe.

Você tem seguido o valor que regia Mary Kay Ash? Como você tem liderado e orientado suas funcionárias?

Nada mais comum nos treinamentos que presto à Mary Kay Brasil do que encontrar os líderes tendo problemas em administrar a vida pessoal e financeira das funcionárias.

Temos uma mentalidade de que as emoções e as famílias dos membros da equipe não cabem a nós, quando esta ideia de liderança está absolutamente obsoleta.

As empresas atuais são marcadas pela união da emoção e da estratégia, da família e do escritório. O novo funcionário volta ao status de ser humano e deixa de ser a máquina de eficiência que precisava ser no início do século passado.

É abraçando a família, orientando as finanças e estimulando as ações que construiremos caminhos de crescimento sustentável e irrefreável ao longo do tempo. De toda a equipe.

É isso que eu faço com as consultoras e diretoras da Mary Kay que treino nos seminários. As lições não são minhas, são da própria Mary Kay Ash. Não esqueça o diferencial da fundadora que criou este império se quiser mantê-lo:

“Mary Kay Ash nos ensinou sobre liderança, mentoria e coaching do que qualquer outra pessoa. Eu teria feito qualquer coisa que ela pedisse, não porque eu a admirava, mas porque eu sabia o que teria sido da minha vida se eu não tivesse escutado seus ensinamentos financeiros, espirituais e emocionais. Ela me orientou e me ajudou a acreditar que eu poderia ser o que eu quisesse.”

Você tem sido uma Mary Kay Ash para suas consultoras? Entre em contato para palestras, treinamentos e workshops sobre inteligência emocional e eficiência profissional. Vamos desenvolver os eixos necessários juntas.

avatar

Dolores Bordignon

Terapeuta e Coach de casais

Dolores Bordignon tem mais de duas décadas de experiência clínica, somando centenas de casos individuais, de famílias e casais que desejam construir novos paradigmas. Suas palestras e workshops trazem à luz a importância da inteligência emocional para as relações pessoais, profissionais e familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *