skip to Main Content
Maridos Emocionalmente Inteligentes São A Chave Para Casamentos Felizes E Duradouros

Maridos emocionalmente inteligentes são a chave para casamentos felizes e duradouros

Como seu marido reage aos seus conselhos e à sua influência sobre ele? E como você expressa sua visão de vida?

Na arte marcial japonesa, o Aikido, existe um princípio central chamado “Yield to win”.

Neste princípio, você usa a energia e as ações do seu oponente contra ele mesmo para vencer a batalha – em vez de forçar uma posição de submissão no outro.

Isso permite que você conserve sua energia e escolha táticas muito mais eficientes.

Claro que não estou falando sobre usar técnicas de Aikido em seu marido. Bem, talvez eu esteja. Ao menos, em essência.

O que quero mostrar é a importância de aceitar e permitir que o conjunto de percepções do outro lhe impacte e transforme sua vida.

Quero te mostrar o significado de permitir que sentimentos, opiniões e necessidades do outro sejam levadas em conta nas suas tomadas de decisão. Isso é ouvir o outro e firmar compromissos capazes de gerar felicidade coletiva.

Este é o espírito.

Quando homens aprendem a aceitar a influência da esposa e trabalham para construir uma situação em que todos ganham, os resultados são maravilhosos.

Maridos interessados: o óbvio segredo do casamento

Foi o que descobriu um longo estudo de John Gottman, publicado no Journal of Marriage and the Family, realizado com 130 casais recém-casados.

Os investigadores concluíram que, quando os homens permitiam que suas esposas os influenciassem, o casamento era mais feliz e a chance de divórcio era menor.

Esta capacidade crítica não está limitada a casais heterossexuais. Na realidade, as pesquisas mostram que casais do mesmo sexo são notavelmente melhores em ouvir o outro do que casais heterossexuais.

Isso ocorre porque as diferenças de gênero não podem ser ignoradas e aprender a cruzar esta barreira requer muito mais esforço pessoal.

O casamento pode, é claro, superar momentos de raiva, brigas e críticas – e até períodos mais longos de negatividade, se o conflito é administrado de maneira respeitosa.

Inclusive, há casais que se fortalecem nestes períodos, pois transformam os desafios em oportunidades de crescimento conjunto.

Mas, os casais estarão em apuros se unirem negatividade com mais negatividade, em vez de trabalharem juntos na redução desta espiral de problemas.

Todos sabemos como reações explosivas durante brigas não resolvem as coisas ou sequer colaboram na geração de acordos e comprometimento.

Reações são a forma de dizer ao seu parceiro que sua influência está banida da decisão. 

As pesquisas do Gottman Institute mostraram que 65% dos homens aumentam a negatividade durante uma discussão.

Siga Dolores Bordignon no Facebook

Os quatro cavaleiros do apocalipse do casamento – crítica, defensiva, desprezo e muralha na comunicação – são sinais de que um homem está resistindo à influência da esposa.

Não digo isso para insultar ou menosprezar os homens, jamais.

Digo isso para esclarecer aos homens como alguns instintos naturais ou até padrões construídos podem afetar a relação, mesmo que eles não percebam.

Você (ou vocês, se estiverem lendo juntos) precisa compreender que homens e mulheres vivem conflitos de formas diferentes.

Homens são mais propensos a criar esta muralha.

Na pesquisado Gottman, 85% deles criavam muralhas quando a esposa tinha algo importante a dizer.

Vocês também precisam compreender que os dois são necessários para fazer o casamento dar certo. Para isso, respeito e valor são valores centrais.

As pesquisas do instituto mostraram que as esposas estavam comprometidas com estes valores, mesmo em casamentos infelizes.

E os maridos?

Isso não quer dizer que as mulheres não ficam bravas. Apenas significa que as emoções instantâneas não afetam eixos centrais da relação nas esposas.

Significa que elas são mais abertas à influência dos maridos em suas decisões.

Ou seja, elas demonstram muito mais valor e admiração pelo outro.

Infelizmente, os dados sugerem que os homens não têm retribuído este valor.

Mais infelizmente ainda, devo dizer que não haverá terapia de casal que conserte seus problemas de casal, se uma das partes não demonstrar apreciação.

Este valor se demonstra, acima de tudo, pela abertura e pela confiança que você deposita nas ideias do outro sobre sua própria vida.

Duvida? O resultado do estudo foi o seguinte: se o marido não aceitar a influência da esposa, há 81% de chance de o casamento implodir.

Homens, é hora de valorizarem as histórias de vida de suas esposas.

Mais do que flores ou sorrisos, você precisa abraçar o que o outro é. Você abraça o outro desta forma permitindo que ele entre em sua vida.

Onde os muros começam

Alguns dizem que homens são de Marte e mulheres de Vênus. É um ditado popular comum, que significa que vemos e sentimos o mundo de formas diferentes.

Esta diferença pode começar já na infância. Quando meninos brincam, eles focam em vencer, não no que os outros jogadores estão sentindo.

Se um dos meninos se machucar jogando bola, o machucado será ignorado e ele será removido da partida.

Afinal, o jogo precisa prosseguir.

Aqui está a grande diferença.

John Gottman, no livro Sete princípios para o casamento dar certo, explica como “brincadeiras de menina oferecem muito mais preparação para relacionamentos e construção de famílias sadias, porque focam nas relações humanas”.

Entenda que isso não se trata de supremacia de gêneros, pelo contrário.

Apenas mostro como a Inteligência Emocional é uma aptidão construída, que deve ser estimulada e trabalhada em cada um de nós.

Inteligência emocional é o primeiro passo

Quem diz isso não é (apenas) eu, mas sim o Gottman Institute.  Não há como discordar.

Tenho décadas de prática clínica comprovando que o fator-chave para prever a felicidade do casal é a abertura para desenvolver a própria Inteligência Emocional.

Entre em contato

Dolores Bordignon ministra dezenas de oficinas e palestras sobre casais e relacionamentos. Entre em contato com a psicopedagoga e promova um evento em sua instituição. Transforme a vida das pessoas.

O Instituto Gottman também nos alerta que o homem rejeita a influência da sua esposa geralmente o faz por medo de perder poder. Novamente, isso não é culpa de ninguém, é algo aprendido ao longo da vida.

Como ele bloqueia a influência da esposa, ele também acaba afetando sua própria influência sobre ela.

Compreende que o casamento é uma dança, certo? Reciprocidade é a lei. Ao longo do tempo, a dinâmica relacional vai sendo minada.

Por outro lado, o marido emocionalmente inteligente tem grande interesse pelas emoções e ideias da esposa, porque ele a valoriza e a respeita. Eles são um time.

Mesmo que o marido não expresse as emoções da mesma forma (diversidade é sempre sadia), ele aprende a se conectar com ela, seja escutando com interesse ou validando sua perspectiva, compreendendo necessidades e mostrando empatia por ela.

Quando a esposa precisa conversar, o marido emocionalmente inteligente perceberá o grau de importância do assunto e saberá medir a atenção que dará à questão.

Ele saberá que é hora de trocar o “eu” pelo “nós”, algo que demonstra solidariedade.

Ele compreenderá o universo interno da esposa e a admirará, comunicando respeito e valor ao se dirigir a ela.

Assim, o círculo virtuoso será abastecido. A relação, a vida sexual e a felicidade geral serão muito maiores do que a do marido que não possui inteligência emocional.

O marido emocionalmente inteligente também é capaz de ser um pai mais prestativo e empático com seus filhos, porque ele não teme mais perder sua posição de poder.

Ele sabe liderar seu time e sabe, mais ainda, que demonstrar emoções e validar as emoções dos membros da equipe é parte crucial deste processo.

Como aceitar a influência da esposa

É muito provável que os maridos sequer notem que não estão abertos à influência da esposa. Tudo bem, eles foram ensinados a ser assim.

Mas, agora é hora de aprender esta capacidade que ficou deficiente ao longo dos anos. Você precisa disso. Seus filhos precisam disso. Ele precisa disso para seu trabalho e para sua própria vida pessoal.

Aceitar a influência de alguém é uma mudança de perspectiva, é umacapacidade cultivada ao prestar atenção diariamente aos outros e ao apoiar osoutros.

Isso significa trabalhar em dois componentes essenciais de um relacionamento feliz: expressar carinho e admiração e aceitar pedidos de conexão.

Quando o conflito surgir, a chave é ouvir o ponto de vista do parceiro e deixar que o outro diga o que tem a dizer. Tentar compreender os motivos por trás da fala, o que de fato está em jogo.

Este esforço é nada menos do que interesse pela história do outro, pelas necessidades e pela construção de uma vida sadia em conjunto.

Façam o seguinte exercício: identifiquem suas necessidades pessoais e conversem um com o outro sobre o que está deficiente – elogiem o que está ótimo e agradeçam o outro por isso.

Saiba mais sobre o exercício com as 10 necessidades emocionais

A partir deste momento, estabeleçam maneiras práticas de consertar os buracos que ficaram no solo do casamento.  

Comprometam-se com estas ações e resgatem o valor que um tem para o outro.

É assim que se aceita a influência.

Quer um casamento feliz e estável?

Comprometa-se mais com o membro do seu time do que com a vitória individual.

Se você fizer isso, você vence, sua parceira vence, seus filhos vencem e o casamento supera todas as barreiras.

avatar

Dolores Bordignon

Terapeuta e Coach de casais

Dolores Bordignon tem mais de duas décadas de experiência clínica, somando centenas de casos individuais, de famílias e casais que desejam construir novos paradigmas. Suas palestras e workshops trazem à luz a importância da inteligência emocional para as relações pessoais, profissionais e familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *