skip to Main Content
Em Busca Da Perfeição?

Em busca da perfeição? O caminho da melhoria pode ser o mesmo da frustração. Saiba como dissociar e desfrutar da jornada.

Quando a busca por ser melhor começa a ser uma constante em nós, isso pode contaminar nossa qualidade de vida. No que se trata de felicidade, o segredo reside no equilíbrio entre melhoria e aceitação.

Todos temos padrões dos quais gostaríamos de nos livrar e sabemos como tentar transformá-los é uma força positiva em nossas vidas. Mas, quando este sentimento começa a nos obrigar mais do que estimular, é preciso ter cuidado para não fazer de uma força aliada uma inimiga que lhe diz que você nunca é suficiente.

Esta sensação de insuficiência, principalmente no cotidiano atual, tão veloz e repleto de afazeres e informações, não é algo exclusivo seu. Tampouco se dá apenas quando falamos em grandes metas. Ela pode surgir com coisas simples, como a necessidade de ser mais organizado ou melhorar sua relação conjugal. Talvez, você queira mais tempo para desenvolver seu lado espiritual ou juntar mais dinheiro. Pouco importa.

Não existe uma meta que deva ser evitada, mas sim um comportamento e uma percepção frente à melhoria pessoal como um todo.

“Gostamos de acreditar que temos mais poder do que temos”, alerta Toni Bernhard, autora de uma interessante série que nos ensina a viver sob determinadas circunstâncias: “Como ficar doente”, “Como despertar” e “Como viver bem com dores e doenças crônicas”.

Mas, diz Toni, o ponto crucial é lembrar que nem tudo está sob nosso controle e que, independentemente de quem você é ou de para onde está indo, haverá obstáculos que estão além da sua força de vontade. Ainda, existe o fator tempo, porque grandes transformações internas podem levar anos ou até mesmo décadas – o que também não significa que você ficará parado esperando tudo estar bem para se sentir feliz.

Afinal, felicidade é o equilíbrio entre ação e aceitação.

Conheça abaixo alguns obstáculos e facilitadores da melhoria pessoal apontados por Toni Berhard:

Desafios para superar

1 – Acreditar que você está “estragado”

Quando nos vemos como objetos estragados a serem consertados, apenas tornamos nossas vidas mais difíceis e isso é o oposto de melhoria. Não estamos estragados, a vida simplesmente é mais difícil às vezes. Isso significa que, não importa o quanto nos esforcemos, nem sempre os resultados serão como desejamos.

2 – Acreditar que você pode ser “consertado”

Existem diversas coisas em nós mesmos que podemos mudar e outras diversas que não podemos mudar. Ficar insistentemente tentando transformar aquilo que não podemos torna a vida mais pesada e gera a sensação de fracasso. Dentro desta categoria, vemos muitas questões físicas e psicológicas, situações familiares e emoções circunstanciais como a dor de um luto.

3 – Presumir que você deve se sentir de determinada forma

Às vezes, nos culpamos por sentirmos raiva, inveja, tristeza, porque são emoções que não condizem com o estado mental que gostaríamos de atingir. Foque sua energia em transformar emoções que você pode transformar e em compreender aquelas que não pode. Nunca esqueçamos que até Dalai Lama admite sentir raiva ocasionalmente.

A liberdade não está em se sentir desta ou daquela forma, e sim conseguir em compreender e abraçar todas as formas que vierem, simplesmente porque elas são manifestações de nós mesmos.

Estratégias para aplicar

1 – Saiba como responder à vida

Uma vez que você aceitou aquilo que não pode mudar, você estará verdadeiramente apto a lidar com situações negativas com compaixão e tranquilidade, que é a maneira positiva de perceber a vida. Então, em vez de focar em como você acha que as coisas devem ser, direcione sua energia à observação de como as coisas são neste momento e investigue como você pode responder à situação – seja de forma compreensiva ou desafiadora.

2 – Observe sua história

Quando você foca naquilo que deveria fazer, você dificilmente enxergará tudo que já fez. A ideia de sucesso como grandes conquistas é perigosa, porque até mesmo as mais bem-sucedidas personalidades do nosso tempo encontram pequenos desafios dentro de si mesmas que as fazem tombar ocasionalmente. Sucesso é a história de sua vida. É vencer estas batalhas dentro de você que apenas você sabe quais são. Todos as temos. Quando você observar tudo pelo que já passou e tudo que já fez, terá condições de analisar seu potencial real – e ele é imenso.

3 – Sonhe e aja

Uma vez que você já conseguiu se perdoar por não ser perfeito e compreendeu que suas limitações são tão grandes quanto as de qualquer um, você estará pronto para agir sem se martirizar caso haja uma queda pelo caminho. Ou seja, você estará pronto para andar com suas próprias pernas, pois saberá que o destino final é apenas um passo do real objetivo da vida: aprender como/por que caminhamos, onde tombamos, como caímos e como/por que levantamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *