skip to Main Content
Do Casamento “mais Ou Menos” Para O Excelente: Hora De Agir [parte 4, Final]

Do casamento “mais ou menos” para o excelente: hora de agir [parte 4, final]

Vamos resgatar seu casamento? Sim! Se você está decidida a recuperar seu relacionamento em 2019, a primeira coisa a saber é que textos na internet não te ajudarão. Ou seja, você precisa tirar as palavras do papel e começar a agir.

Você precisa de uma estrutura, de estratégias que forneçam um passo a passo prático.

No caso dos casais que atendo no consultório, observo as necessidades individuais e coletivas dos dois. Eu analiso o cotidiano. Eu verifico o que é possível fazer neste momento e nas próximas sessões. É um processo de evolução e ajuste constante. Ensino ferramentas capazes de gerar o melhor resultado no mais curto espaço de tempo.

Aqui, o que podemos fazer é extrair uma essência destas estruturas e refletir sobre como elas cabem na sua vida, na vida da sua família. Criaremos um plano e você será a responsável por adequá-lo às suas particularidades.

Um plano de relacionamento é vital para o sucesso da empreitada. Coaches, conselheiros e terapeutas utilizam estes planos em suas práticas. Obviamente, planos funcionam melhor, quando você tem o acompanhamento inicial de um especialista, capaz de afinar os passos ao seu cotidiano.

É o especialista que possui o olhar imparcial, sem anos de traumas, gatilhos, dores guardadas que distorcem nossa visão sobre as coisas. Mas, não é porque você não tem acesso a um especialista que você ficará abandonada. Eu quero que você seja feliz, muito além do que você pensa que pode ser.

Entre em contato

Dolores Bordignon ministra dezenas de oficinas e palestras sobre casais e relacionamentos. Entre em contato com a psicopedagoga e promova um evento em sua instituição. Transforme a vida das pessoas.

Cuidados com o plano de ação

A taxa de divórcio aumentou 60% em 80 anos. Estudos indicam que 33% das pessoas são infelizes em seus casamentos.

Estas pessoas são os seus amigos, colegas, vizinhos. Quando você começar a ser feliz com seu marido ou quando você colocar seu casamento como prioridade na sua vida, a mentalidade caranguejo surgirá na sua vida.

Pessoas com mentalidade caranguejo são aquelas que te puxam para baixo quando você resolve finalmente evoluir. Seus amigos não são maldosos ou ruins. Eles apenas não querem arcar com o esforço da evolução junto e não querem te perder. Contudo, se isso acontecer, você precisará ser forte.

Como usar o plano de ação

Planos de ação são como programas para perder peso. Existem duas formas de oferecer um programa para perder peso: sendo desonesto e sendo honesto.

Desonesto é dizer que tudo dará certo, que é 100% garantido que você sairá magro e ficará magro para sempre. Honesto é compreender a complexidade humana, os fatores ambientais envolvidos, os medos, os desejos, o lugar onde cada um está na sua vida.

Este plano de ação foi dividido em meses.

Cada mês foca em uma área específica do casamento. Dentro de cada mês, há cinco passos que trabalharão a resolução desta situação.

No começo de cada mês, você inicia o passo 1 daquele mês e vai passando pelo passo 2, 3, 4 e 5. Você notará que grande parte do mês será gasto no passo 4, que é mais longo. Nos últimos dias do mês, você fará o passo 5.
No próximo mês, você repete o processo, ajustando os passos para a área em que estiver trabalhando.

Quando você estiver trabalhando nisso por alguns meses, os passos começarão a ser naturais e fáceis de seguir. Qualquer plano funciona melhor quando a equipe está envolvida. Neste caso, você e seu marido. Mas, muito pode melhorar mesmo se você estiver empenhada sozinha nesta jornada.

O mais importante a manter em mente é o porquê de você estar seguindo este plano. Sempre mantenha fresco na sua cabeça e no seu coração o motivo para você prosseguir e chegar onde quer chegar. Quando os desafios surgirem, e eles surgirão, você manterá o foco e a força.

Lembre-se, também, que muitos casais estão nessa com você. Não é o seu casamento que está indo do “mais ou menos” para o péssimo. É grande parte dos relacionamentos.

A diferença é que você vai agir para impedir isso.

Cinco passos para resgatar seu casamento

Passo 1: Avaliação

Determine onde você está no seu relacionamento neste momento. Assim como uma viagem de férias, você não consegue calcular quanto tempo levará para chegar do ponto A ao ponto B se não estiver ciente de quando você quer ir e para onde você quer ir.

O passo inicial é responder uma série de perguntas que te ajudarão a esclarecer onde você está no seu casamento, o que está funcionando, o que não está e aquilo que você pode fazer para mudar.

Todas as suas ações daqui para frente serão baseadas nestas respostas. Por isso, dedique um tempinho à reflexão. Alguns poucos minutos para sentir sua relação.

No início de cada mês, reflita sobre as seguintes perguntas:

  1. O que você mais tem que agradecer na sua relação?
  2. Quais são as três coisas que você mais admira no seu parceiro?
  3. Quais são as três coisas que mais te irritam nele?
  4. O que há de comum nestas três questões irritantes?
  5. Quando seu marido age desta forma, como você se sente?
  6. Por que você acha que ele age assim em vez de fazer o que você gostaria?
  7. De quantas maneiras você já tentou passar para ele como você sente sobre isso?
  8. Você considera que ele está tentando te irritar propositadamente?
  9. O que você espera que ele faça para resolver isso?
  10. O que impede seu marido de agir para solucionar este problema?

Passo 2: Mentalidade

Mentalidade, mindset ou atitude, é aquilo em que você focará seus pensamentos durante o mês e que pode te ajudar a conquistar os resultados desejados. Todos os especialistas em casamento têm mentalidades que levam a um casamento feliz.

John Gottman, por exemplo, preconiza que você precisa aprender a deixar seu parceiro influenciar você. Suas pesquisas sobre relacionamentos indicam que casais que não ficam presos às suas opiniões, que permitem uma mútua transformação, são mais felizes e bem-sucedidos. Isso é apenas um exemplo de mentalidade.

Na realidade, Dr. Gottman concluiu que, se o marido não compartilhar seu poder com sua esposa, existe uma chance de 81% de que o casamento se destrua. Agora, imagine que, durante este mês, você focará em compartilhar seu poder com seu marido e o incentivará a testar isso com você.

Os dois serão alfa, líderes de uma família. Suas decisões se influenciarão e se tornarão uma só: poderosa, fortalecida, unívoca.

Mentalidades têm um poder imenso no casamento. O que pensamos têm impacto tremendo em nossas ações e, portanto, no comportamento do parceiro. A cada mês, escolha uma ou duas mentalidades para focar.

Você pode extrair algumas questões-chave do meu Guia Definitivo do Casamento Feliz, onde abordo perguntas que você precisa saber antes de se casar. Mas, você pode fazer o exercício de extrair a alma dessas perguntas e focar nelas ao longo do mês. Por exemplo, no item “quem lavará a roupa”, você trabalhará sobre a divisão de tarefas na casa, compreende?

Outra forma de extrair boas mentalidades é ir direto à fonte: atuando sobre os Seis pilares do casamento ou sobre as 10 necessidades emocionais do ser humano.

Todos os conteúdos que te sugiro são fontes fantásticas de trabalho. A primeira dica atuará sobre fatos práticos do cotidiano. A segunda, ir direto na alma da relação, atuará sobre mecanismos mais subjetivos e profundos.

Passo 3: Mecânica (ferramentas)

Existem ferramentas que devemos usar em diferentes aspectos e situações. Aqui, indico as Cinco Linguagens do Amor, do Dr. Gary Chapman. As cinco linguagens do amor são: palavras de afirmação, atos de serviço, tempo de qualidade, toque físico e receber presentes. 

Imagine que você está construindo sua casa e tudo que você tem é um martelo. A casa será extremamente limitada, porque você não tem as ferramentas necessárias para construir algo melhor. A mesma coisa ocorre com seu casamento.

Chapman esclarece que todos temos estes elementos em nós, mas precisamos conhecer quais deles se sobressaem – ou seja, quais nos geram maior sentimento de acolhimento e afeto. Vamos ver bem rapidamente as cinco linguagens e passar para o próximo passo!

Palavras de afirmação: palavras de conforto, apoio, empoderamento, motivação, valorização e reconhecimento à outra pessoa para que ela sinta-se mais confiante, valorizada, inteligente, importante e amada.

Atos de Serviço: pessoas que amam oferecer suas capacidades como forma de demonstrar seu amor. Possuem verdadeira necessidade de ajudar e se sentem muito preenchidos pelo sentido de entrega e, claro, de reconhecimento e valorização.

Tempo de Qualidade: aqui, você precisa superar a ideia da mera presença física. Pessoas que precisam de tempo de qualidade precisam que você esteja de corpo e alma ao lado delas – algo dificílimo em um casamento com filhos, com celulares, agendas lotadas e contas para pagar, não é mesmo?

Toque Físico: mão com mão, corpo com corpo, rosto com rosto. O toque é um dos mais poderosos gestos na relação. Abrace, deite junto, faça carinho, acolha o corpo do outro. O toque fortalece nosso ser desde nossa época de nenês, no colo da mãe ou do pai. É algo inato em nós, que não pode ser mudado.

Presentes: uma forma de materializar seus sentimentos pelo outro e demonstrar sua afeição e carinho. Não falamos de torrar dinheiro comprando o outro. Falamos de pequenos mimos, uma flor, um bilhete de amor, um jantar especial. São ações de amor materializadas.

Você e seu marido descobrirão juntos qual destas linguagens mais preenche a alma um do outro. Caso ainda não saibam, experimentem todas. Uma por mês, quem sabe? Ao descobrirem o que mais agrada ao outro, vocês passarão a dedicar este período do mês a falar esta linguagem.

Passo 4: Ação

Nada acontecerá até que você coloque os passos 1, 2 e 3 em ação. Você pode passar a vida inteira refletindo sobre seu casamento, mas, até que você comece a agir, nada mudará.

Como Tony Robbins alerta, “resultados massivos precisam de ações massivas”. Quanto mais transformações no seu relacionamento você quiser, mais ação você precisará.

Voltemos à analogia com a perda de peso: se você quiser perder peso muito rapidamente, você precisará tomar diversas atitudes conjuntamente: reduzir alimentos, cortar determinadas comidas, se exercitar, dormir melhor etc.

Primeiro, você identificou o que você gostaria de manter e de mudar. Depois, no passo 2, você trabalhou nas mentalidades do mês. No passo 3, você descobriu as linguagens do amor, capazes de verdadeiramente tocar seu parceiro.

Agora, é hora de conversar com seu parceiro. Esteja calma, feliz e confiante nesse momento. É hora de construir, não de “discutir”. Você vai expor seus sentimentos, seus esforços e motivações. Vocês trabalharão juntos sobre o que pode ser feito.

Escolha um bom momento, como o jantar ou o fim de semana no parque. Este exercício precisa ser prazeroso, precisa gerar aquela motivação que sentimos quando finalmente decidimos começar um grande projeto ou mudar nossa vida para melhor!

Saia desta conversa com compromissos firmados, com ações. Exatamente como você faria se fosse resgatar uma empresa prestes a falir. Métodos, horários, deixe tudo muito concreto. E cumpram suas promessas com amor. Caso um esqueça, não se abata. Nada mais normal do que esquecer algo novo. Reforce com carinho, isso não significa que o outro não quer mudar.

Passo 5: Finalizando a avaliação

No final de cada mês, você fará uma avaliação dos seus resultados. Esta prática eu sugiro não apenas quando falo de casais, mas de qualquer jornada na sua vida. É preciso saber exatamente onde você acerta (e erra) para seguir caminhando, não é mesmo?

Neste passo, você simplesmente analisará as medidas que funcionaram e aquelas que não funcionaram. Seja muito honesta aqui, porque nossa meta é evitar esforço que não dê resultado. Vamos, assim, direcionar nossa energia àquilo que de fato transforma.

Se você concluir que muito pouco funcionou, sem problemas. Isso pode acontecer sim! O que você fará é observar as oportunidades que você deixou de aproveitar. Nesse momento, você estará traçando seus próximos passos – exatamente onde você não agiu.

Perceba as mentalidades que você não trabalhou, as ferramentas que você não usou (linguagem do amor) e tudo que ainda pode ser feito. Lembre-se que este é um projeto de uma vida inteira. Lembre-se que qualquer boa luta leva tempo para prosperar.

Não é em um mês que construímos uma empresa, uma casa, uma carreira, um corpo ou mente saudável. Sempre se dê tempo. Para isso, você precisa ter a capacidade de enxergar sua evolução, mesmo que seja gradual (e será!). É vendo como você está evoluindo que você terá força para prosseguir.

Portanto, foque nas mudanças – mesmo que não tenham impactado sua relação, impactaram você! Você está começando a perceber que é possível ser diferente, ver a vida de forma diferente, agir de forma assertiva e positiva.

Não existe nada mais compensador do que compreender que você está se transformando.

Se você trabalhou em alguma mentalidade que fez muito bem ao casal, por favor, sinta-se livre para repeti-la se considerar necessário. Sinta-se totalmente livre para jogar com as mentalidades e com as ferramentas, fazendo cruzamentos entre elas.

Trabalhe a ajuda na casa com a linguagem do presente e com a linguagem do toque. Trabalhe o sexo com a ferramenta da afirmação e do tempo de qualidade. Entende? Vá jogando, trocando e, por favor, tendo prazer nessa nova trajetória de descoberta!

Conclusão: comece imediatamente

Você terminará sua leitura, repassará os outros textos da série de resgate ao casamento, e começará agora mesmo. Não espere um segundo sequer.

Reflita sobre como você e seu marido estão expressando amor um pelo outro. Uma mentalidade que sempre funciona é que ambos estão na relação para construir, para experimentar e fazer dar certo.

Quando você conversar com seu marido, não é para criticá-lo ou apontar defeitos sobre quem ele supostamente é. Lembre-se do princípio de familiaridade.

Se você trocar suas ações, expressões e situações, o outro provavelmente responderá de uma forma completamente diferente. Ou seja, como assim o outro “é isso”?

Portanto, você conversará com seu parceiro para encontrar alternativas práticas de melhorar o que precisa ser melhorado. Você lembrará que todos nós temos pontos a melhorar, que não é algo do seu casamento em particular.

Vamos começar? O que você fará hoje? Como tem sido sua jornada?Deixe seu comentário, dê seu feedback sobre este plano de transformação do casamento!

Casamento excelente: o que aprendemos nesta série?

Passo 1: dominamos as 10 necessidades emocionais humanas, onde aprendemos sobre o Banco do Amor, uma poderosa lógica para a sua relação.

Passo 2: aprendemos sobre os seis pilares do casamento feliz, onde você compreendeu a importância de sustentar o fundamento do relacionamento.

Passo 3: vimos como avaliar o seu casamento com base no seu conhecimento e na sua ação para melhoria.

Passo 4: avaliamos as causas do casamento “mais ou menos” e entendemos porque você precisa agir agora, antes que a relação seja terrível.

Passo 5: avaliamos as causas do casamento “mais ou menos” e entendemos porque você precisa agir agora, antes que a relação seja terrível.

Passo 6: determinamos os três grandes erros dos casais e os dois maiores mitos do casamento. 

Hoje, concluímos nossa série com as mentalidades, as ferramentas e os métodos para aplicarmos estas transformações em nossas vidas! 

avatar

Dolores Bordignon

Terapeuta e Coach de casais

Dolores Bordignon tem mais de duas décadas de experiência clínica, somando centenas de casos individuais, de famílias e casais que desejam construir novos paradigmas. Suas palestras e workshops trazem à luz a importância da inteligência emocional para as relações pessoais, profissionais e familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *