skip to Main Content
Coaching Para Quem?

Coaching para quem? Conheça os cinco principais motivos pelos quais os coaches são buscados atualmente

“Coaching é a relação de confiança e parceria que potencializa e revela o melhor das pessoas”, conceitua Marco Antonio Ornelas, consultor, coach e professor. Esta profissão em franca expansão é cada vez mais buscada em um mundo com tantas alternativas, caminhos e informações. “Por onde ir?” “Como chegar onde quero?” ou até mesmo “o que quero?” são perguntas comuns às pessoas hoje em dia, imersas neste universo de infinitas opções.

Mas, quais são as principais questões que levam as pessoas a buscarem atendimento com um coach? Será que este método pode lhe ajudar? E como? Ornelas pontua aquelas que considera as cinco principais causas para que o coach seja procurado e comenta cada uma delas. Leia e reflita – e aja.

Dolores Bordignon alia Coaching, Inteligência Emocional e Psicopedagogia para alcançar as mais diversas frentes do indivíduo em sessões diferenciadas e dinâmicas em Porto Alegre. Conheça nosso trabalho. Ligue para nós: (51) 99991.9298

1. Questões relacionadas ao próprio desenvolvimento – autodesenvolvimento, reconhecimento e domínio de talentos 
Nada mais comum do que perceber que a grande maioria das pessoas vive sem total domínio de si, dos seus potenciais e talentos. Essa cegueira emocional leva a uma baixa confiança e estima e uma visão distorcida de si. A imagem que mais bem ilustra essa situação é a de um elefante preso por uma simples corda ou corrente em sua pata traseira. Ele tem força e total condição de se soltar, mas, por desconhecer seu próprio valor e força, se submete e se condiciona ao contexto, se submete ao aprendizado passado.

2. Questões relacionadas à carreira – entendimento e visão das possibilidades e do desenvolvimento de suas competências
Pessoas conseguem perceber que carreiras podem trazer infelicidade, mas não conseguem ampliar a visão e perceber as inúmeras possibilidades que o ambiente organizacional oferece e como podem ser mais felizes. Mesmo considerando as limitações naturais de um sistema, há mais possibilidades dentro das organizações do que podemos imaginar. É preciso tirar as amarras e as vendas dos olhos.

3. Questões relacionadas às aptidões e às competências – apoio para começar um aprendizado, uma qualificação pontual
Quantas vezes precisamos de um aprendizado de curto prazo e com objetivos e resultados claramente definidos? Como transferir este potencial e competências para outras atividades? Considerando que Coaching é um processo de construção de ação, nada mais importante que o desenvolvimento de competências objetivas e de transferências de habilidades.

4. Questões relacionadas à performance – melhoria de desempenho e alinhamento de estratégias e objetivos organizacionais
Essa tem sido, na minha experiência como coach, a maioria das demandas por processos de Coaching. Inúmeros são os casos de pessoas que não atendem ou sentem que não atendem expectativas e resultados. Num mundo tão competitivo e exigente como o que vivemos, essa é sempre uma questão a ser considerada. Não acredito em baixa performance por si só. Há muito para expandir nessa questão.

5. Questões relacionadas às transições – percepção de talentos para momentos de mudança e transição
O mundo organizacional nos proporciona os desafios de transição, primeiramente de líder de si mesmo para líder de outros; de líder de outros para líderes de líderes; de um gestor operacional para um gerente de negócios; posteriormente, uma transição para gerente de grupos e por fim, de gestores de grupos para administradores da empresa e de empreendimentos.

Precisamos de Coaching nesses e em outros momentos, porque não podemos observar nossas próprias ações, limitações, potenciais e dificuldades, sem a ajuda dos outros; é com os olhos dos outros que nos enxergamos melhor, que vemos quem realmente somos e os resultados que, de fato, produzimos. Precisamos dos outros especialmente quando ainda não temos competência para produzir algum resultado. O coach nos ajuda a desenvolver confiança em nossas possibilidades e persistência diante de obstáculos.

Precisamos dos outros até mesmo quando somos competentes. Queremos ser ouvidos, reconhecidos e apreciados. Precisamos ser valorizados pelo nosso esforço e por resultados que produzimos. Apesar de sermos os principais responsáveis por nossa motivação, a participação dos outros dá maior significado, motivo, ao que realizamos.

(Via Revista Coaching Brasil)

Contate Dolores Bordignon e escolha o melhor atendimento para você: palestras, clínica, cursos e workshops

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *