skip to Main Content
Casamento E Saúde Financeira: Uma Dupla Inseparável

Casamento e saúde financeira: uma dupla inseparável Até 23% dos casais brigam por questões financeiras. Veja oito dicas preciosas para evitar esta situação.

A maneira como 16,7% dos brasileiros casados gastam o próprio dinheiro é motivo de briga em casa, segundo pesquisa encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de Educação Financeira Meu Bolso Feliz.

Este percentual sobe ainda mais, alcançando quase 23%, quando se refere aos casais inadimplentes. Daqueles que estão com as contas em dia, 10,7% declaram brigar por dinheiro. Para evitar que o seu casamento chegue neste ponto, é bom seguir algumas dicas simples!

DICA 1: Converse com o seu parceiro

O diálogo é o melhor caminho para a harmonia. Esconder gastos do seu parceiro, por exemplo, não é um bom sinal. A relação precisa ser transparente para evitar transtornos mais tarde. Além disso, os especialistas recomendam que o casal decida em conjunto as suas prioridades e a maneira como vão distribuir as rendas dos dois para o pagamento das contas, os momentos de lazer e os investimentos em planos futuros.

O ideal: sentem pelo menos uma vez por mês juntos para rever o planejamento financeiro e as metas traçadas para atingir algum objetivo, que pode ser uma viagem, um carro novo, um casa ou até mesmo o nascimento de um filho.

DICA 2: Dividam as responsabilidades

Não é porque ele (ou ela) ganha mais que deve se responsabilizar pelo pagamento de todas as contas da casa. Vocês podem negociar essa questão: quem sabe aquele que ganha mais assume um número maior de pagamentos?

O ideal: defina quem ficará responsável pelo quê (um vai ao banco, o outro ao supermercado). Defina valores que serão separados mensalmente para economia ou investimento.

Dica 3: Paguem as contas em dia

Dívidas e falta de dinheiro sempre tiram o sono e trazem instabilidade ao casamento. É fundamental pagar as contas em dia para evitar que elas virem uma bola de neve, aumentando com os juros sobre juros e taxas extras. Avaliem a possibilidade de aderir ao débito em conta. Caso prefiram fazer o pagamento das contas, dividam-se (um paga a luz, outro o condomínio, por exemplo) e lembrem um ao outro das suas responsabilidades.

Dica 4: Conta conjunta

Reflitam sobre abrir uma conta conjunta. É uma boa alternativa para o pagamento de despesas do casal, como aluguel, água, luz, etc. O casamento certamente vai modificar a maneira com que você lida com o dinheiro.

O ideal: definam um valor mensal para os gastos individuais, mas foquem nas despesas da casa e nos planos para o futuro do casal.

Dica 5: Planejamento financeiro

Liste despesas e reorganize o orçamento, que agora passa a ser dos dois. Defina prioridades e como pretende chegar aos objetivos. Estabeleça as metas para o presente e para o futuro. Pode ser que ele queira comprar um carro novo e ela tenha como prioridade uma bela viagem de férias. Tudo deve ser negociado e planejado, de modo a agradar a todos.

O ideal: tracem um plano para conquistar metas. Pode ser que vocês decidam poupar uma determinada quantia por mês, aplicando na poupança ou decidam investir parte dos seus rendimentos mensais.

Dica 6: Reserva para emergências

Ninguém está livre de gastos inesperados. O carro estragou, um vazamento apareceu no apartamento, um dos dois ficou doente? E agora?! É claro que ninguém quer ficar pensando em desgraça, mas acredite: elas acontecem com todo mundo. O que pode fazer diferença é a maneira com que vocês vão lidar com ela. Se tiverem um fundo de reserva para situações emergenciais, com certeza será mais fácil.

O ideal: organizem-se para juntar um valor que corresponda a três meses da renda dos dois juntos, mesmo que leve tempo para isso ocorrer. É importante também fazer um esforço para repor os valores retirados para as emergências.

Dica 7: Cortem gastos desnecessários

Sempre há onde cortar, nem que seja no uso do telefone, internet e festas mais caras. O orçamento deve ser reorganizando, pensando na vida a dois. Definindo as prioridades do casal, não será tão difícil reduzir a compra de roupas e acessórios, nem controlar o uso do cartão de crédito e do cheque especial.

O ideal: comecem a pesquisar preços antes de comprar. Isso vale para a aquisição de bens duráveis, mas também para o supermercado da semana.

Dica 8: Poupar ou investir?

Se vocês dois fizerem o planejamento e eliminares gastos desnecessários, com certeza terão uma sobra de dinheiro no fim do mês. Há duas alternativas do que fazer com esse valor: aplicar na poupança ou investir. Caso já tenham poupanças individuais, unifiquem a conta: os rendimentos serão maiores! O rendimento desse tipo de aplicação é baixo, mas o risco também. Para começar a vida a dois, pode ser uma boa escolha.

Se preferirem investir, existem diversas alternativas: títulos de capitalização, títulos públicos negociados através do Tesouro Direto ou investimento em ações. Para acumular o valor pretendido no planejamento de vocês dois, é importante não resgatar o dinheiro antes de receber os rendimentos e controlar a ansiedade com a instabilidade do mercado financeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *